Templates by BIGtheme NET

Alunos da UAB de Luzilândia realizam manifesto em defesa da educação

Estudantes da Universidade Aberta do Brasil-UAB, Polo de Luzilândia, realizaram no ultimo sábado (11) um manifesto em defesa da Universidade Pública, que contou com a presença de representantes da Universidade Federal do Piauí. O objetivo do evento foi esclarecer sobre os possíveis impactos à instituição com o corte dos 30% no orçamento destinado às Universidades públicas, anunciado na ultima semana pelo Governo Federal.

Os alunos produziram cartazes chamando atenção para os possíveis impactos da medida, que atinge diretamente o polo local, e também chamar atenção sobre a importância da mobilização popular para pressionar o Governo a rever suas prioridades nessa contenção de gastos. O professor Dr. Gildásio Guedes Fernandes, Diretor do Centro de Educação Aberta e a Distância da Universidade Federal do Piauí (CEAD/UFPI), aceitou o convite para participar do evento e esclarecer as dúvidas dos alunos.

Em sua fala o professor destacou em números a importância da modalidade Educação à Distância, e como a medida pode prejudicar os Polos.  Segundo ele, o corte para a Educação nesses quatro anos vai além dos 30%, se for levado em consideração os cortes anteriores feito nos Governos Dilma e Temer. “Esses cortes de contenção de gastos não são de agora, se formos somar, no Governo Dilma houve corte de 25%, no Temer mais 25% e agora em menos de 6 meses de Governo, temos mais 40%”, comenta.

Segundo o professor, somado os 33% dos cortes para os Cursos presenciais e os 7% dos cursos á Distância,  o impacto às Universidades seriam de 40% e não 30% como foi divulgado. No entanto o professor é otimista e acredita que o Governo possa voltar atrás nessas contenções de gastos, mas para isso é preciso mostrar para eles a insatisfação da população e o prejuízo que a medida pode causar á Educação, principalmente no Ensino à distância.

O advogado Gilberto Jr, um dos idealizadores do manifesto, destacou a importância do Polo da EAD para os luzilandenses. Ele lembrou que a cidade passou alguns anos sem Universidades, e que a UAB veio suprir a necessidade de estudantes que não podem se deslocar aos grandes centros para ter acesso ao ensino superior. “Não devemos retroceder, e precisamos lutar pela existência e pela ampliação, claro, com mais qualificação e qualidade do ensino superior” , disse.

O Professor Mestre, Maycon Silva, também da Universidade Federal do Piauí, participou do momento cantando músicas tradicionais e colaborando com o debate. Ele destacou que hoje, de acordo com os últimos dados, existe 8,3 milhões de universitários que não podem ser ignorados.

O líder estudantil da cidade de São Bernardo Victor Machado lembrou a mobilização nacional marcada para o dia 15 de maio com o objetivo de pressionar o Governo a repensar os cortes. Em Luzilândia  a mobilização está marcado para as 16h  da quarta-feira ( 15 de maio) em frente ao prédio da UAB de Luzilândia.

No momento abertos para questionamentos, os alunos do Curso de Geografia da UAB de Luzilândia, perguntaram  sobre como os cortes das verbas poderiam prejudica-los. Segundo o professor Dr. Gildásio os cursos superiores que já estão em andamento precisam ser concluídos, e que os cortes não prejudicariam as turmas já formada. O professor informou ainda que está previsto dois vestibulares para o Polo em Luzilândia, Geografia e Letras Português ou Pedagogia.

fonte e fotos: Clicaluzilandia e Região

Douglas Sampagode, radialista com certificação pela FBR e FENART ( Federação Nacional dos Radialista), atua na área de comunicação há 15 anos, passagem por rádios, diretor de 02 emissoras de rádio ( Popular FM e Jovem FM- Todas em Luzilândia), ex colunista do portal Piripiri40graus.com, designer, editor de áudio e vídeo, gerenciador de mídias sociais, assessor de imprensa e diretor do Blog do Sampagode.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*