Por 7 votos a 2- Câmara de Joca Marques reprova prestações de contas do ex-prefeito Onofre Franco

Por: Douglas Sampagode
Publicado em 17/09/2019 - 09h44

Com plenário lotado, aconteceu na noite da ultima segunda-feira dia 16/09 na Câmara Municipal de Vereadores de Joca Marques a votação que rejeitou  as contas da Prefeitura Municipal, relativas ao exercício de 2016. A rejeição torna o ex – Prefeito Onofre Franco inelegível por oito anos. Foram 07 votos pela rejeição das contas, 02 votos a favor.

A Comissão de Fiscalização, Controle, Finança e Fiscalização, da câmara municipal, presidida pelo vereador Francisco Meireles apresentou um parecer pela REPROVAÇÃO da Prestação de Contas (contas de governo e  contas de gestão), do exercício financeiro de 2016, do Município de Joca Marques,  de responsabilidade do Chefe do Executivo Municipal, Sr. Onofre Silva  Marques.

Segundo o parece, a motivação é em razão do alto valor das despesas não licitadas, em relação a aquisição de combustíveis no valor de 330 mil reais no Posto Nossa Senhora de Fátima, em Joca Marques e contratação de serviços prestado na realização de curso de capacitação e fracionadas da empresa Gabriel Consultoria no valor de R$ 61 mil, e aquisição de material de construção, pois nenhum documento foi juntado pelo ex-gestor e verificou-se que de fato, não há nas peças do processo que tramitou perante o Tribunal a juntada de qualquer procedimento licitatório relacionado a tais despesas, que demonstre a regularidade desses despesas, que somam cerca de mais de 500 mil reais somada a impropriedade do alto valor pago com encargos financeiros, decorrente do pagamentos com atraso das faturas de energia (ELETROBRAS), gerando  juros e multas, no montante de mais de 80 mil.

Observou – se também empenhos relacionados as aquisições de materiais de construção, feitas junto a empresa GENIVALDO CORDEIRO DA SILVA – ME, especialmente no mês de dezembro/2016, último mês de mandato do ex – prefeito, estranhou-se, a quantidade caixas dáguas e bombas submersas adquiridas e que não se sabe a sua destinação, verificou-se e chamou a atenção, que foram: 13 caixas dágua de 1.000 litros, 4 caixas dágua de 1.000 litros e um caixa d’água de 500litros, totalizando 18 caixas d’água sem a implantação no município e respectivos tubos soldáveis e de esgoto, joelho etc, destinado as instalações das caixas dágua, bem como 13 bombas submersas e mais, uma quantidade grande de material hidráulico, elétricos, e treliças e telhas, que não se descobriu qual o destino desses materiais de construção, onde foi utilizado, se em favor da municipalidade ou de um terceiro beneficiário, daí a suspeita de compra irregular, feita já no final do mandato do ex-prefeito e que não restou justificado ou esclarecido no processo em análise.

O ex – prefeito foi citado pela câmara municipal, e não apresentou defesa e nem mandou representante.

A decisão da Câmara será publicado em diário oficial e encaminhada para o Ministério Público do Piauí.

 

Douglas Sampagode, radialista com certificação pela FBR e FENART ( Federação Nacional dos Radialista), atua na área de comunicação há 15 anos, passagem por rádios, diretor de 02 emissoras de rádio ( Popular FM e Jovem FM- Todas em Luzilândia), ex colunista do portal Piripiri40graus.com, designer, editor de áudio e vídeo, gerenciador de mídias sociais, assessor de imprensa e diretor do Blog do Sampagode.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.